Terça-feira, 17 de Novembro de 2009

O alambamento

 

Embora com especificidades muito próprias, como constatarão de seguida, o “alambamento” é a cerimónia equivalente ao pedido de casamento europeu, onde a família do noivo se desloca a casa da noiva, para, formalmente, pedir a sua mão em casamento.
 
A organização familiar angolana é tendencialmente machista; como exemplo de alguns pormenores que o confirmam, dificilmente se vê um homem a ser conduzido num carro por uma mulher; quando um casal entra num restaurante ou outro espaço público, o homem entra à frente e a mulher atrás; ser uma mulher a pagar a conta num restaurante, é uma vergonha para o homem; sem falar da facilidade com que a maioria das namoradas ou esposas aceita que o marido dê umas “facadinhas” no matrimónio.
 
Como me dizia tranquilamente uma angolana que conheço, apenas não aceita que o marido tenha uma relação extraconjugal regular e estável; se forem relações ocasionais, não há problema!
 
Contudo, a mulher tem um papel fundamental na família (o que aparentemente é contraditório), na medida em que, tradicionalmente, é quem tem de se preocupar com o sustento e educação dos filhos e, não raras vezes, da própria família.
 
Por isso, a saída de uma mulher de casa para casar, é encarada como uma diminuição do património e dos rendimentos da sua família.
 
Para compensar esse facto, antes da cerimónia do alambamento, a família da noiva, elabora e entrega ao noivo a chamada “carta do pedido”, que consiste numa relação dos mais variados bens e valores que devem ser entregues pelo noivo no momento da cerimónia.
 
Desta lista, podem fazer parte coisas tão variadas como uma saia nova para a avó, um fato para o pai, sem nunca esquecer as bebidas alcoólicas.
 
O principal protagonismo pertence aos tios dos noivos, que conduzem a cerimónia, e, no limite, decidem a concretização do próprio casamento.
 
O noivo só aparece na cerimónia depois dos familiares da noiva confirmarem que os bens correspondem aos pedidos, e, habitualmente, entra no local às cavalitas de um tio da noiva.
 
O noivo está proibido de falar, a não ser depois de autorizado a fazê-lo, e, mesmo assim, apenas em resposta a alguma pergunta dos "mais velhos”.
 
A noiva habitualmente só aparece perto do final da cerimónia, e isto depois do noivo pagar às suas tias, para que estas lhe revelem o seu paradeiro.
 
É normal o noivo ter de deixar uma grade de cerveja por cada passo que dê no sentido da porta, no final da cerimónia, ou então ter de fazer um monte de grades de cerveja, até atingir a altura da noiva…
 
Embora as famílias ditas mais modernas da cidade de Luanda já não façam o alambamento, continua a ser praticado pela maioria dos jovens casais.
 
Eu próprio já ouvi muitos relatos na primeira pessoa.
 
De referir, ainda, que, após o alambamento, os noivos ficam autorizados a consumar a relação que os une (como se já não o tivessem feito antes!).
 
No final, acabam todos em festa, onde são consumidas, desde logo, a maior parte das bebidas alcoólicas que constavam da lista.
 
Fica aqui um exemplo real de uma carta de alambamento, onde apenas alterei os nomes dos intervenientes, por razões óbvias.
 
…………………………………………………………………………………………….
LISTA DE PEDIDO DE ALAMBAMENTO·

PARTE PATERNA DA NOSSA FILHA JOANA MARIA OSÓRIO (JOANINHA) 


1º - Multa  de Abuso de engravidar a nossa querida filha (estudante); 30.000,00 AKZ
Acompanhada de 2 grades de cerveja importada 
                            2 grades de gasosa  importada 
                            2 garrafas de whisky ou 2 garrafões de vinho tinto de qualidade
 
2º - Carta de pedido para noivar a nossa querida filha, no valor de  25.000,00 AKZ
Acompanhada de 1 garrafa de whisky de 12 anos 
Para agradecer a resposta da carta de pedido: 2s garrafões de vinho tinto importado
 
3º - Outros deveres para o alambamento
1-Saudação------uma grade de cerveja importada
2-Entrada--------uma grade de cerveja  importada
3-Conversa------uma grade de cerveja  importada
4-Saída-----------um garrafão de vinho
5-Fechar o caminho---uma grade de cerveja nacional
 
4º - Carta para pedido de factura de alambamento: 6.000,00 AKZ
 
5º - Valor para alambamento da nossa querida filha: 88.000 KZ (1.000,00 USD), acompanhado com os seguintes artigos:
                    3 grades de cerveja 
                    3 grades de gasosa 
                    3 garrafões de vinho 
                    3 garrafas de whisky de qualidade 
                    1 animal vivo (um porco grande), acompanhado de
                    2 garrafões de vinho importado do Alentejo – Portugal

6º -Vestuário: 
1-     Um cobertor para Avó, acompanhado de 1 garrafa de aguardente Bagaceira.
2-     Fato completo do Pai, cor de cinza, comprado numa loja de qualidade
3-     Um par de sapatos nº 41 ( Atenção: Não comprar na praça)
4-     Uma camisa de manga comprida e gravata, acompanhada com 2 garrafões de vinho.
5-     Três peças de pano Super Wax de origem Holandesa, 3 lenços de cabeça e 3 pares de chinelas nº 37, acompanhados de 1 grade de cerveja Cuca e uma grade de Fanta de laranja.
6-     Uma caçadeira para o avô que está no mato a caçar macacos.
7-     Um pequeno gerador
8-     Antena parabólica e o respectivo cartão de recarga (6 meses)
 
Obs.:
 
 - Virem preparados:
Virem preparados para o caso de mais alguma multa (atraso, não cumprimento das regras da família e falar sem os mais velhos lhe darem a palavra, etc,etc)
 
CUMPRA-SE!

A Família Paterna da noiva Joana Maria Osório - (Joaninha)
O Tio Principal: João António  - (Joãozinho)
 
…………………………………………………………………………………………….
 
Estou a documentar-me sobre outras tradições conjugais de algumas províncias angolanas, de que destaco, para já, duas:
 
1ª Em algumas zonas do interior, o marido tem direito a que a sua mulher seja substituída por uma irmã (que terá de cumprir todos os deveres conjugais), se existir algum impedimento temporário da primeira, como, por exemplo, um internamento hospitalar.
 
2º Outras vezes, o noivo, antes de casar, tem de passar uma noite com uma tia da noiva, para que esta ateste a sua virilidade.
 
Quanto a mim, acho bem, e defendo que estas tradições culturais sejam importadas pela Europa.
 
Como estão na moda os referendos, aqui ficam umas sugestões…
publicado por AL às 20:15
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Calendas a 18 de Novembro de 2009 às 21:27
Giro e interessante. Bom post. Gostei ;)

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ensaio fotográfico sobre ...

. os salva vidas

. 2011

. Porto, by night...

. Lisboa - Porto, visto do ...

. Igreja de Nª Sra. dos Rem...

. Foz, Porto... esta manhã.

. tranquila tarde de Doming...

. o amor

. o perónio

. gripe A...

. sexo ocasional...

. o cigano "hemen-sexual".....

. o que as televisões não m...

. obrigado

. Luanda, vista do meu kaya...

. ... I know!... how I know...

. Fim de semana, amigos, Ca...

. Campeonato do mundo.... d...

. Selecção da Europa

. Tom Waits, Tom Taubert´s ...

. solu music feat kimblee, ...

. Nouvelle Vague, in a mann...

. Alanis Morissette, that I...

. oh, Laura - release me

. Lés a Lés 2010

. Pipeline, Hawai

. 397

. Parabéns, minha querida M...

. Federação Ibérica

.arquivos

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

blogs SAPO

.subscrever feeds